A relação entre os elementos da cocriação/DART e a certificação Fair Trade no contexto cooperativista

Autores

Palavras-chave:

Cocriação de valor, DART, Cooperativa Agroextrativista Veneza do Marajó, Agrobiodiversidade

Resumo

A proposta dessa pesquisa foi analisar empiricamente se os elementos da cocriação de valor: Diálogo, Acesso, Risco e Transparência-DART, se relacionam com a certificação Fair Trade e quais os benefícios gerados dessa relação. O estudo foi desenvolvido a partir da perspectiva de atuação de 151 cooperados extrativistas. Objeto de estudo foi a Cooperativa Agroextrativista Veneza do Marajó, que é certificada Fair Trade desde 2014. Para atender ao objetivo proposto empregou-se observação de campo e utilização de survey. Os dados quantitativos foram analisados por meio de técnicas de estatística descritiva e fatorial confirmatória. Os resultados demonstraram que o DART se faz presente na cooperativa estudada, sendo o Risco a variável de maior representatividade. Esse resultado pode ter ampla relação com o fato de o produto açaí ser proveniente do extrativismo não madeireiro, por isso, fortemente dependente das condições naturais de solo e clima favoráveis para seu desenvolvimento. A conquista do selo Fair Trade tornou-se uma alternativa para os extrativistas aumentarem a visibilidade do produto frente ao mercado e também uma oportunidade de negócio atrativo, visto que existe um mercado disposto a pagar um preço prêmio por um produto orgânico diferenciado e cultivado sob o manejo florestal sustentável da agrobiodiversidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bárbara Ádria Oliveira Farias Fernandes, Universidade Norte do Paraná (UNOPAR)

Doutora em Administração. Professora na UNOPAR – Universidade Norte do Paraná. E-mail: barbaraadria@yahoo.com.br.

Cyntia Meireles Martins, Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)

Doutorado em Ciências Agrárias. Professora na UFRA – Universidade Federal Rural da Amazônia. E-mail: cyntiamei@hotmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-5695-8504.

José Luiz Nunes Fernandes, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Doutor em Desenvolvimento Econômico, Regional e Agrário. Professor na UFPA – Universidade Federal do Pará. E-mail: jluiz@ufpa.br.

Rosângela Sarmento Silva, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Doutorado em Administração. Professora na UFS – Universidade Federal de Sergipe. E-mail: rosangelasarmento13@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3044-9699.

Sérgio Castro Gomes, Universidade da Amazônia (UNAMA)

Doutorado em Economia Aplicada. Professor na UNAMA – Universidade da Amazônia. E-mail: sergio.gomes@unama.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-1731-8766.

Referências

ANDERSON, P.; ROSENQVIST, C.; VALIENTE, P. Mobile Innovattions in healthcare: customer involvement and the co-cocreation of value. International Journal of Mobile Communications, n. 5, p.371-388, 2007.

ANDREU, L.; SÁNCHEZ, I.; MELE, C. Value co-cocreation among retailers and consumers: New insights into the furniture market. Journal of Retailing and Consumer Services, v. 17, n. 4, p. 241-250, 2010. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jretconser.2010.02.001. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0969698910000093. Acesso em: 30 jul. 2022.

BALLANTYNE, D.; VAREY, R. J. Creating value-in-use trough marketing interaction: The exchange logic of relating, communicating and knowing. Marketing Theory, v. 6, n. 3, p. 335-348, 2006.

BARBOSA, A. A.; PEREIRA, P. R. A.; OLIVEIRA, L. H. de. Processo de conquista da certificação Fair Trade por uma associação de cafeicultores do Sul de Minas Gerais. In: ENCONTRO ANPAD, 38, 2014, Rio de Janeiro, RJ. Anais […] Rio de Janeiro, 2014.

BEGNIS, H. S. M.; AREND, S. C.; ESTIVALENTE, V. F. B. Em frente ao espelho: a produção do conhecimento em cooperativas na Revista de Economia e Sociologia Rural. RESR, v. 52, n.1, p. 99-116, 2014.

DONATO, C.H. Os Aspectos Relacionais da Cocriação de Valor como uma Plataforma de Engajamento em Rede. 320 f. Tese (Doutorado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Municipal de São Caetano do Sul, São Caetano do Sul, SP, 2017. Disponível em: https://www.uscs.edu.br/pos-stricto-sensu/arquivo/108. Acesso em: 30 jul. 2022.

ENKEL, K; GASSMANN, O; CHESBROUGH, H. Open R&D and open innovation: exploring the phenomenon. R&D Management, v. 39, n. 4, p. 311-416, 2009.

FERRAZ, L. Z. T.; REZENDE, A. J. As Características dos Cooperados como Determinantes da Percepção da Cocriação de Valor. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, G&DR, [S.l.], v.15, n. 5, p.57-77, set./dez. 2019. DOI: https://doi.org/10.54399/rbgdr.v15i5.5031. Disponível em: https://www.rbgdr.net/revista/index.php/rbgdr/article/view/5031/819. Acesso em: 30 jul. 2022.

GRILLO, T.L.H. Influência Social na Comunidade Virtual, Engajamento com a Marca e a Propensão do Consumidor a Colaborar no NPD. 107 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Administração, Contabilidade e Economia, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2014.

HAIR, J. F. J.; BLACK, W. C.; BABIN, B. J.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L. Análise multivariada de dados. Trad. Adonai Schulz Sant’Anna. 6. ed. Porto Alegre: Goodman, 2009.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Anuário do comércio 2017. Brasília: IBGE, 2017. Disponível em: www.ibge.gov.br. Acesso em: 15 mar. 2018.

LIMA, S.K.; GALIZA, M.; VALADARES, A.; ALVES, F. Produção e Consumo de Produtos Orgânicos no Mundo e no Brasil. Brasília: IPEA, 2020. Disponível em: https://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/9678/1/TD_2538.pdf. Acesso em: 30 jul. 2022.

LOBÃO, M. S. P.; STADUTO, J. A. R. Modernização Agrícola na Amazônia. Revista de Economia e Sociologia Rural-RESR, v. 2, n. 58, p. 188-276, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1806-9479.2020.182276. Disponível em: https://www.scielo.br/j/resr/a/3Xdbsf8JNPVbVxzG7mVyHfq/?lang=pt. Acesso em: 30 jul. 2022.

MÖLLER, K.; RAJALA, R.; WESTERLUND, M. Service Myopia? A New Recipe for Client-Provider Value Creation. California Management Review, Berkeley: University of California, v.50, n.3, p. 27-28, Apr., 2009. DOI: 10.2307/41166444. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/346554853_Service_myopia_A_new_recipe_for_client-provider_value_creation. Acesso em: 30 jul. 2022.

PARÁ. Agência de Defesa Agropecuária do Estado – ADEPARÁ. Açaí: riqueza do Pará com mercado garantido dentro e fora do Brasil. Belém: ADEPARÁ, 2017. Disponível em: http://www.adepara.pa.gov.br/. Acesso em 22 ago. 2018.

PAYNE, A. F.; STORBACKA, K.; FROW, P. Managing the co-creation of value. Journal of the Academy Marketing Science, v. 36, n. 1, p. 83-96, 2008.

PEPPER, L. G.; ALVES, L. F. N. O açaí ribeirinho certificado: uma forma de garantir o reconhecimento de um produto diferenciado e de assegurar renda duradoura para ribeirinhos do Estuário Amazônico. Cadernos de Agroecologia, v. 10, n. 3, p. 1-6, 2015. Disponível em: https://revistas.aba-agroecologia.org.br/cad/article/view/19995/13076. Acesso em: 30 jul. 2022.

PRAHALAD, C. K.; RAMASWAMY, V. Co-creating unique value with customers. Estratego & Leadership, v. 32, n. 3, p. 4-9, 2004.

PREARO, L. C. Os serviços públicos e o bem-estar subjetivo da população: uma modelagem multigrupos baseada em mínimos quadrados parciais. 274 f. Tese (Doutorado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-12022014-163743/publico/LeandroCampiPrearo.pdf. Acesso em: 30 jul. 2022.

RAMASWAMY, V.; GOUILLART, F. The power of co-creation: Build it with them to boost growth, productivity and profits. New York: Free Press, 2010.

RAMASWAMY, V.; OZCAN, K. Strategy and co-cocreation thinking. Stanford: Stanford University Press, 2014.

SEBRAE, Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas. Relatório da Pesquisa Mundial do Comércio Justo. Brasília: [S. l.], 2012.

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS DO ESTADO DO PARÁ – OCB/PA. Diagnóstico do Cooperativismo Paraense. 2017. Disponível em: http://paracooperativo.coop.br/. Acesso em: 08 dez. 2018.

STELZER, J. Fair Trade e Comércio Justo: A Justiça Comercial Sob Diferentes Perspectivas. Revista Jurídica, v. 1, n. 63, p. 266-288, 2021. Disponível em: http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/documentacao_e_divulgacao/doc_biblioteca/bibli_servicos_produtos/bibli_informativo/2021_Periodicos/Rev-Jur-UNICURITIBA_n.63.pdf. Acesso em: 30 jul. 2022.

VERSCHOORE, J. R.; BALESTRIN, A. Ganhos competitivos das empresas em redes de cooperação. Revista de Administração Eletrônica, São Leopoldo: Universidade do Vale do Rio dos Sinos, v. 1, n. 1, p. 1-21, 2008. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/268870412_Ganhos_competitivos_das_empresas_em_redes_de_cooperacao. Acesso em: 30 jul. 2022.

Publicado

2022-12-31

Como Citar

ÁDRIA OLIVEIRA FARIAS FERNANDES, Bárbara; MEIRELES MARTINS, Cyntia; NUNES FERNANDES, José Luiz; SARMENTO SILVA, Rosângela; CASTRO GOMES, Sérgio. A relação entre os elementos da cocriação/DART e a certificação Fair Trade no contexto cooperativista. Revista Eletrônica Competências Digitais para Agricultura Familiar, Tupã, São Paulo, Brasil, v. 8, n. 2, p. 74–108, 2022. Disponível em: https://owl.tupa.unesp.br/recodaf/index.php/recodaf/article/view/156. Acesso em: 15 jul. 2024.